Dia das Bruxas de Manezinho

           O Dia das Bruxas (Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre principalmente em países de língua inglesa, mas com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como origem as celebrações dos antigos povos Celtas.
           O primeiro registro do termo "Halloween" é de cerca de 1745. Derivou da contração do termo escocês "Hallo-Hellu" (véspera do Dia de Todos os Santos) que era a noite das bruxas. No Cristianismo existe o costume de celebração das chamadas Vésperas. No último serviço religioso do dia, depois do anoitecer, se celebra o dia que está por vir. Na Antiga Religião celta existia o Samhain, a Festa dos Mortos (no Cristianismo é celebrado dia 2 de novembro). Com a Cristianização das Ilhas Britânicas, de maioria Celta, houve uma mistura dos costumes das 2 religiões.
          Se analisarmos o modo como o Halloween é celebrado hoje, não sí mais nos países de língua inglês, mas em diversos países pelo mundo, veremos que pouco tem a ver com as suas origens: só restou uma alusão aos mortos, mas com um carácter completamente distinto do que tinha ao princípio. Além disso foi sendo pouco a pouco incorporada toda uma série de figuras que habitam o imaginário humano e elementos estranhos tanto à festa de Finados como à de Todos os Santos.

E por falar em imaginário humano e elementos estranhos, na antiga ilha de Nossa Senhora do Desterro (Florianópolis) Franklin Joaquim Cascaes ao longos de 30 anos de trabalho foi responsável por reunir uma grande quantidade de informações sobre o folclore de Florianópolis por meio de pesquisas e entrevistas com antigos moradores da Ilha que remetem a esses seres fantásticos tal como acreditava-se na região.
…”esta ilha, antiga Nossa Senhora do Desterro, mergulhava até há bem poucos anos atrás nas brumas das lendas de seres imaginários: boitatás, lobisomens, fantasmas, feiticeiras, bruxas e embruxados que arrastavam suas sinas nas horas mortas da noite, pelas matas e na imensidão dos mares”… trecho do conto Balanço Bruxólico.

Abaixo alguma figura marcantes que estão presentes na obra de Franklin Cascaes:

As Bruxas
          
A Ilha de Santa Catarina traz, junto com sua história, as lendas de um lugar encantado e misterioso. São lendas que falam de reuniões de bruxas, bruxas que atacam pescadores, que roubam barcos, bruxas que bailam dentro de tarrafas de pescaria e de vassouras bruxólicas.
          Bruxas dando nós em caudas e crinas de cavalos. Madame Estória conta que as mulheres bruxas costumavam, para levar cabo suas malvadezas bruxólicas, roubar cavalos nos pastos e potreiros, fazê-los galopar pelos ares e dar nós indesatáveis nos rabos e nas crinas deles. (CASCAES / Ilha de Santa Catarina).
          “Ilha rodeada pelo incomensurável, o desconhecido que atrai e assusta, batendo furioso contra as rochas e transportando as bruxas em suas viagens noturnas sobre vassouras ou em baleeiras roubadas dos pescadores.”
          
As lendas contam sobre dois tipos de bruxas: a terráquea, bruxa por opção própria, e a espiritual – predestinada, devido ao fato de ser a primeira ou a sétima filha de um casal sem varões. De acordo com a tradição, para se evitar essa maldição, a irmã mais velha deve batizar a mais nova.

O Boitatá
         
“Este Boitatá esta passeando sôbre a Ilha de Santa Catarina. É meia-noite. Ele esta apreciando, lá de riba as sessentas praias que ela possue, brancas quiném jasmim. Para afugentá-lo a pessoa que o avista deve chamar a outra que estiver mais perto e gritar assim: zenobra trás a corda do sino mode amarrar o boitatá que ele anda por aqui. Ele foge imediatamente do mundo fascinante da fantasia humana”.

Os Lobisomens
          
Já os lobisomens apareciam com muitas formas. E a transformação, segundo os ilhéus, era assim. Diziam que no meio da noite, o sujeito ia até o lugar onde um animal estivesse deitado. Qualquer animal: cachorro, boi, vaca, porco. Ele então levantava o animal, tirava a roupa e rolava no chão, no calor do outro animal. Aí ganhava a metamorfose de lobisomem, porque ele nasceu com aquele instinto de ser lobisomem, porque ele já tinha toda a propensão.

Fontes: Guia Floripa e Wikipédia

Voltar